COMO TUDO COMEÇOU

A Cabanha São Rafael começou sua seleção em abril de 1987, com a aquisição de sete éguas e um garanhão, durante a Feira de Outono de Pelotas/RS (sede da A.B.C.C.C.).

No início, a intenção era obter animais de trabalho (manejo de gado) que fossem registrados, para garantir a qualidade da raça que despertou interesse através de sua afamada rusticidade, resistência e inigualável postura de cavalos das Américas (morfologia invejável) que a tantos conquista. Mas aos poucos o entusiasmo pela raça foi crescendo e, o que era para ser somente um animal de trabalho foi se tornando uma paixão, um modo de vida, um objetivo.

Sem nenhum acompanhamento técnico, o começo foi difícil, com muitos “tropeços”, aprendizados que vieram acrescentar experiência na difícil e nobre arte de selecionar cavalos. Aquisições sem base técnica fizeram com que a Cabanha sentisse a necessidade de consultar criadores tradicionais e técnicos da Associação Brasileira. A partir deste momento a criação começou tomar moldes de profissionalismo empurrada pela crescente empolgação em descobrir onde a raça poderia nos levar.

Então, com a Cabanha em crescimento, foi preciso investir em material genético e estrutura para abrigar e manejar este material.

A FILOSOFIA

A Cabanha São Rafael não mede esforços no aprimoramento de sua criação, buscando sempre investir no que for preciso para selecionar animais competitivos e que valorizem a evolução da Raça Crioula.